fbpx

O seu site vai parar de funcionar. E o problema é do Mito.

16 de maio de 2019

Meu artigo no jornal “O Globo” de hoje: Socorro, meu site parou de funcionar! E a culpa é do Mito. – Vejam a confusão que se avizinha. O WordPress é a principal plataforma de gestão de conteúdo de sites no mundo. É um sistema livre e aberto e uma das ferramentas mais utilizadas por sua facilidade de uso e versatilidade. Para os numerólogos, o WP detém 60% de participação do mercado global; 17 posts são publicados a cada segundo em sites do WP em todo o mundo; empresas como o New York Observer, o New York Post, o TED, o Thought Catalog, Williams, o USA Today, a CNN, a Fortune.com, a TIME.com, a National Post, a Spotify, a TechCrunch, a CBS Local, a NBC usam o WP. Para encerrar, cerca de 19.500.000 sites em toda a web usam o WordPress. Quer mais informações? Aqui:  http://bit.ly/2VE09Pj

Acontece que, para o seu bom funcionamento, é necessária a instalação de plugins. Muitos plugins. O plugins ou extensões (também conhecidos por plug-in, add-in, add-on), são programas de computador usados para adicionar funções a outros programas maiores, promovendo alguma funcionalidade especial ou específica. Ou seja, ele é uma espécie de “caixa de marchas” do seu site.

Assim sendo, os plugins são indispensáveis na construção da arquitetura de todos os sites. E a maioria deles é gratuita. A novidade, agora, é que eles estão se tornando pagos. Por isso, sem mais nem menos, não consegui, ontem, trabalhar o meu site mondolivro.com.br. Vou explicar.

Do nada, a criação e edição do site parou de funcionar. Só isso, imagina… você tecla “Adicionar novo” ele te manda para o Nirvana, ou seja, depois de três séculos de minutos pensando, abre uma página com um “Erro 504” do “Guru Meditation”. Não é piada, eu printei. Foi quando o meu verdadeiro guru, o Anderson Clayton, me alertou: o plugin #Toolset parou de ter atualizações, ou seja, ele não existe mais. Pior: esta crise shakespeareana é a coisa mais comum na plataforma de WP, hoje. Eles têm uma crise de identidade, somem e reaparecem com um aviso, convidando para ingressar na versão paga. É isso ou reconstruir todo o site com um novo plugin.

Mas tudo bem, afinal, ninguém vai reclamar de pagar pelo que é indispensável ao funcionamento do site. Mas aí vem o pior: o plugin mira a Pessoa Jurídica. O preço flutua entre U$ 159 e U$ 300 !! Mas estamos falando de UM plugin. Normalmente, um site médio utiliza entre 10 e 30. Mais informações, aqui: http://bit.ly/2VFjWOx

Será uma espécie de retorno em versão cibernética ao mito do Cavalo de Troia? Um presente lindo que, por dentro, reserva uma surpresa desagradável? Estaremos, portanto, caminhando para outra cadeia de serviços, ainda não sistematizada do ponto de vista tecnológico? Estaremos subordinados, em breve, a uma casta de programadores, desenvolvedores e afins? Sem dúvida. É uma questão de tempo. Pouco tempo, podem ter certeza.