fbpx

Vavá confirma: é mesmo Rosa, um atleticano, na foto

30 de março de 2018

Confirmado por Vavá, o único personagem vivo desta foto: a pessoa da foto na Embaixada do Brasil em Paris é realmente o primeiro-secretário João Guimarães Rosa. A história completa foi contada ao jornalista Fred Melo Paiva (os áudios estão ao final). Um resumo: o empresário que cuidava da excursão sumiu com todo o dinheiro da arrecadação. Sem passagens para voltar, nem onde ficar, recorreram à Embaixada e foram atendidos por Rosa. Segundo Vavá, foi o próprio futuro autor de “Grande Sertão: Veredas” que tratou de tudo – desde as reuniões até a negociação para conseguir, do Governo brasileiro, os bilhetes para o retorno a Belo Horizonte. Era dezembro de 1950.

Na despedida, a Embaixada ofereceu uma recepção em homenagem ao escrete mineiro, com duas atrações: uma feijoada e uma cantora recém descoberta: Edith Piaf – que já havia lançado seu maior sucesso: a canção “La Vie en Rose”. O evento foi amplamente noticiado pela imprensa francesa.

Nesta recepção, Guimarães Rosa, autor do livro de contos “Sagarana”, publicado quatro anos antes, fez um discurso enaltecendo o Clube Atlético Mineiro. Segundo Vavá, Rosa fez menção ao  “trio maldito”, Jairo, Said e Mário de Castro, referências na vitória de 9 a 2 contra o rival Cruzeiro, em 1927. “As suas palavras eram de um torcedor apaixonado”, afirmou Vavá. Só como informação: em 1927, Rosa, com 19 anos, fazia o curso de Medicina, em Belo Horizonte, na Universidade de Minas Gerais, onde se formou.

Agora é encontrar o discurso que, certamente, está nos anais do Itamaraty. Abaixo, o relato de Fred Melo Paiva, que conversou longamente com atacante Vavá.

AUDIO 1 – FRED MELO PAIVA

AUDIO 1 – FRED MELO PAIVA

[fbcomments]