fbpx

A identificação que vale um milhão de sonoras palmas ou a foto que intriga o mundo cultural

1 de dezembro de 2020

Filtro de barro, abacaxis na mesa e um grande mistério.

 

Tudo começou com Celso Curi que disparou uma foto onde um figuram, na cabeceira da mesa, Henfil e Ruth Escobar. Entre eles, o personagem misterioso, motivo desta notícia e tantas e tantas outras, nas duas últimas semanas.

 

A razão da busca vem de Álvaro Machado, que está preparando um livro sobre Ruth Escobar. Como todas as milhares de fotos do acervo estão coladas em cartolina, não há como descobrir os créditos e situações.

 

Mas alguma coisa se sabe: a foto data de 1978, provavelmente em alguma cidade fora de São Paulo, feita logo após a temporada de “Revista do Henfil”, numa produção da Ruth. Sabe-se que à esquerda do Henfil está Sérgio Ropperto, que interpretava “Ubaldo, o Paranóico”, na Revista. E que, apesar de parecer, não é Renata Sorrah, à direita.

 

Entre as dezenas, centenas de mensagens de zap e emails trocados, hipóteses já descartadas, para adiantar: o arquiteto Artigas, Jamil Almansur Haddad, Luiz Carlos Maciel, Ademar Guerra, Oswaldo Mendes, Samuel Weiner, Walter Clark, José Ermínio de Moraes, o ex-chanceler português Rui Patrício, Geraldo Cazé, pai de Regina Cazé.

 

A frase mais ouvida, até agora é “este rosto não me é estranho”.

 

Sugere Oswaldo Mendes que publique-se o livro, oferecendo uma sonora salva de palmas ao leitor que conseguir identificar o misterioso convidado, sentado ao lado de Ruth Escobar.

 

Lembrando, claro, que para se sentar a lado de Ruth, na cabeceira de uma mesa de jantar, por mais exótica que seja, como esta, a pessoa não seria uma qualquer.