fbpx

Colabore com a reedição do livro “Dossiê Herzog” de Fernando Jordão

30 de abril de 2021

 

Tornar viva a memória de Vladimir Herzog é um ato de cidadania. Vamos colaborar com os custos de reedição do livro “Dossiê Herzog: prisão, tortura e morte no Brasil”, de Fernando Pacheco Jordão, em uma iniciativa do Instituto Vladimir Herzog.

 

Esta reedição busca construir um documento atual, relevante e necessário sobre um dos episódios mais decisivos para a história recente do Brasil: o assassinato de Vladimir Herzog, em 25 de outubro de 1975.

 

A proposta de colaboração, na verdade, pode ser uma compra antecipada de exemplares. Leiam as “recompensas” que os organizadores estão oferecendo. Basta clicar aqui: https://bit.ly/3xD0Ho0

 

 

Abaixo, o texto que oferece uma justificativa para a parceria na reedição:

 

O assassinato de Vladimir Herzog e seus desdobramentos para a história do Brasil já foram contados por meio de diversos livros, filmes, peças de teatro, exposições. Mas talvez nenhum relato seja tão rico e preciso quando Dossiê Herzog: prisão, tortura e morte no Brasil, livro publicado por Fernando Pacheco Jordão em 1979.

 

Reeditado cinco vezes, a mais recente há quinze anos, o rumo atual da vida política do país impõe acréscimos a esta obra referencial, que permitam novas abordagens e aproximem esta página da nossa história das novas gerações de leitores.

 

Por isso, o Instituto Vladimir Herzog lança o projeto de financiamento coletivo para a publicação da sétima edição do livro Dossiê Herzog: prisão, tortura e morte no Brasil, de Fernando Pacheco Jordão.

 

Ao ser publicado pela primeira vez, há mais de quatro décadas, o livro se tornou uma ação política que se seguiu a tantas que marcaram a reação dos jornalistas e de importantes setores da sociedade brasileira ao assassinato de Vladimir Herzog, então diretor de jornalismo da TV Cultura, e à fraudulenta versão de que ele havia se suicidado, em 25 de outubro de 1975.

 

A repercussão da morte do jornalista foi enorme e a crueldade do regime ditatorial não podia mais ser relativizada. Não é exagero dizer que começava ali o processo que culminaria na redemocratização do País, como bem explica Fernando Pacheco Jordão nas páginas do livro.

 

A intenção de produzir e publicar uma nova edição de uma obra já consagrada se justifica não apenas pela possibilidade de reproduzir o texto impecável de Fernando Pacheco Jordão, mas por muito mais do que isso.

 

Diante das insistentes e grosseiras tentativas de revisionismo histórico por parte de personagens que hoje estão no poder, é preciso estabelecer uma visão atualizada sobre tudo o que representou o assassinato de Herzog.

 

Como se não bastasse, as circunstâncias em que o jornalista foi assassinado foram investigadas e analisadas nos últimos anos por órgãos de justiça nacionais e internacionais e a nova edição do livro irá trazer estas atualizações.

 

Trata-se, portanto, de um livro incrivelmente consoante com os nossos tempos atuais e uma nova edição é absolutamente relevante e necessária.

 

Em meio a tantos retrocessos na defesa dos direitos humanos, é nosso papel lutar pelas convicções de Vladimir Herzog e construir uma sociedade que mantenha sua capacidade de indignação e sua ação transformadora.

 

Contamos com o seu apoio!

 

Sobre o autor

 

Fernando Pacheco Jordão (1937-2017) começou no jornalismo em 1957, como redator e locutor de rádio-jornal, na antiga Organização Victor Costa em São Paulo, que abrangia as rádios Nacional, Excelsior e Cultura. Depois, passou por vários dos principais veículos jornalísticos do país, como a Rádio Difusora, dos Diários Associados; o jornal O Estado de S. Paulo; e a TV Excelsior. Em 1964, foi contratado pelo serviço brasileiro da BBC em Londres, onde se reencontrou profissionalmente com Vladimir Herzog, com quem havia trabalhado em O Estado de S. Paulo.

Em seu regresso ao Brasil, em 1968, foi convidado a atuar na TV Cultura, onde criou o jornalismo com o programa “Foco na Notícia”, que posteriormente passou a se chamar “Hora da Notícia”. Em 1974 foi para a TV Globo, onde editou o “Jornal Nacional” em São Paulo e a seguir tornou-se diretor do “Globo Repórter”.

Diretor do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo na época do assassinato de Vladimir Herzog, é o autor deste livro, que se tornou um documento fundamental para a história de nosso país e que o Instituto Vladimir Herzog pretende republicar agora.

Fernando trabalhou na TV Globo até 1979. Depois disso ainda foi correspondente da revista IstoÉ em Londres e da Editora Abril em Paris, quando se despediu das redações, atuando a seguir como assessor de imprensa em campanhas eleitorais. Fernando faleceu em 16 de setembro de 2017.

 

Sobre o Instituto Vladimir Herzog

 

Criado em 25 de junho de 2009, o Instituto Vladimir Herzog luta pelos valores da Democracia, dos Direitos Humanos e da Liberdade de Expressão. Essa missão requer a recuperação da nossa História – especialmente da mais recente, ocultada pela sistemática censura imposta pela ditadura – e a sua exposição às novas e às próximas gerações. Almejamos transformar a cultura da sociedade para transformar a própria sociedade. Trabalhamos na formação dos valores do indivíduo, desde os seus primeiros anos de vida, buscando a vivência do respeito à diversidade em todas as dimensões e a consciência de seus direitos e como buscá-los. Inspirados na grandeza e nos valores de Vlado, não é o medo que nos move, mas a confiança no ser humano e em seu potencial. Para isso, é preciso estar atento e atuante para assegurar o diálogo e a tolerância às opiniões diversas na sociedade.

 

Recompensas

 

R$ 20

Certificado digital de agradecimento

 

R$ 50

Certificado digital de agradecimento

Nome dentro da nova edição do livro Dossiê Herzog

 

R$ 150

Certificado digital de agradecimento

Nome dentro da nova edição do livro Dossiê Herzog

Exemplar da nova edição do livro Dossiê Herzog

 

R$ 500

Certificado digital de agradecimento

Nome dentro da nova edição do livro Dossiê Herzog

Exemplar da nova edição do livro Dossiê Herzog

Box de DVDs Protagonistas desta História

 

R$ 1.000

Certificado digital de agradecimento

Nome dentro da nova edição do livro Dossiê Herzog

Exemplar da nova edição do livro Dossiê Herzog

Box de DVDs Protagonistas desta História

Exemplar do livro Cartazes desta História

 

R$ 2.500

Certificado digital de agradecimento

Nome dentro da nova edição do livro Dossiê Herzog

Exemplar da nova edição do livro Dossiê Herzog

Box de DVDs Protagonistas desta História

Exemplar do livro Cartazes desta História

Caixa dos exemplares de fac-símiles do jornal Ex

 

Notas:
1. As recompensas deverão ser retiradas na sede do Instituto Vladimir Herzog, no bairro do Sumaré, em São Paulo.

  1. As recompensas poderão ser enviadas via transportadora, mas o destinatário é quem deverá arcar com o valor do frete.
  2. As recompensas serão enviadas a partir da data em que for lançada a nova edição do livro Dossiê Herzog.