fbpx

Fliaraxá é pioneiro em realizar a primeira Batalha de Slam

27 de março de 2021

Wellington Sabino é o grande vencedor do “Slam para Carolina”

O Pós Fliaraxá foi palco para a primeira Batalha de Slam, realizada por um Festival Literário. A vida e obra de Carolina Maria de Jesus, autora que será a patrona do X Fliaraxá, foram exaltadas por meio dos textos recitados em sua homenagem.  Para a curadoria da Batalha, foram convidados os slam masters Alessandro Eliziário Dornelos, poeta, slammer, bordadeiro, MC e estudante de Letras, e Denis Balduino (Babu), ilustrador, grafiteiro, nascido e criado em Sacramento MG, cidade natal de Carolina Maria de Jesus. Foram três dias de batalha de Slam, 22 a 25 de março de 2021, e participam os poetas slammers Lúcia Helena dos Santos, Laira Arvelos, Matheus Pierre, Wellington Sabino, Edson Militão, Preta Poeta (Natália Pinheiro), Luciene Oliveira, Treta (João Paulo), Lechay Drunk, Poeta Zezinho (José Belisario Pereira) e Héli Marília. O grito ‘Rainha Negra Heroína, Slam para Carolina’, deu início a cada apresentação de um slammer.

Slam é uma competição de poesia falada que traz, por meio de trabalhos autorais, críticas a respeito de questões da atualidade para debate. “O Slam é um campeonato de poesia falada que ocorre no mundo inteiro. Ao menos no Brasil existem mais de 250 comunidades desde o Rio Grande do Norte, ao Rio Grande do Sul. Então, para nós, é uma honra estar aqui no Fliaraxá”, disse Alessandro Dornelos. 

As regras do Slam envolvem três rodadas por dia de batalha, cada poeta tem até três minutos para recitar seu poema, com tolerância nos primeiros dez segundos, após esse período, a cada dez segundos, é descontado meio ponto de cada poeta. Após cada slam os jurados avaliam de zero a dez, sendo a maior nota e a menor desconsideradas do somatório. Antes de cada poeta performar foi dito o grito de guerra: ‘Rainha Negra Heroína, Slam para Carolina’. Todas as lives contaram com a tradução em Libras e com vídeo-homenagens para Carolina.

O primeiro dia de batalha aconteceu na segunda-feira, 22 de março, e contou com a participação de cinco jurados: João Victor Idaló, Aline Rosa Souza, Jhosy Oliveira, Eliana Vilas Boas e Eduarda Gabriele. “Hoje, a gente está aqui para celebrar Carolina, que é a nossa rainha negra heroína e todas as palavras são para ela”, afirmou Denis Babu.

Na segunda batalha, disputaram os vencedores da primeira batalha: Luciene Oliveira, Matheus Pierre, Lúcia Helena, Edson Militão, Wellington Sabino e Lara Arvelos. E participaram os slam masters Monrá, Camila Manoela, Káren Mundoca, Professora Rose, Tokinho Carvalho, como jurados. “A palavra sempre vence. A poesia sempre vence”, incentivou Alessandro Dornelos. 

A final foi disputada entre Edson Militão, Luciene Oliveira e Wallington Sabino. E teve como jurados Clara Costa, Seleida Paiva, Ramon Mocambo, Jhosy Oliveira e Rogério Coelho – o primeiro Slam de Minas Gerais.

O vencedor do “Slam para Carolina”

O grande vencedor foi o slammer e autor do livro de poesias “Do Tronco Ao Enquadro”, Wellington Sabino, com 90 pontos. “O Fliaraxá está de parabéns por dar voz ao Slam e não tenho palavras para agradecer todos os envolvidos, todo mundo que assistiu. É uma gratidão imensa fazer parte da história do Slam e a gente está cumprindo uma história muito bonita aqui, no triângulo em Minas Gerais. Essa é uma conquista estrondosa para o Slam. Vocês  não tem dimensão com a vitória da história que o slam mineiro teve, ao participar do Fliaraxá”, destacou Wellington Sabino.

A programação do IX Fliaraxá e do Pós Fliaraxá pode ser assistida pelo canal do Fliaraxá no Youtube, com acesso pelo link: https://www.youtube.com/fliaraxa

Para assistir a batalha 1 de Slam no Pós Fliaraxá acesse: https://www.youtube.com/watch?v=wE6vpVp5cIo

Para assistir a batalha 2 de Slam no Pós Fliaraxá acesse: https://www.youtube.com/watch?v=VPxbDo8L-TU&t=205s

Para assistir a batalha 3 de Slam no Pós Fliaraxá acesse: https://www.youtube.com/watch?v=7N83p271CC4

FRASES:

“É um evento muito especial para a gente, pois além de a gente ter essa oportunidade de estar em um Festival de tamanha importância que o FLiaraxá, a gente ficou o ano passado sem fazer o nosso slam, devido a razões obvias, mas 2021 vei para mostrar que sempre há esperança, sempre há alguém para nos estender a mão. Então a gente está feliz demais com essa oportunidade”. – Denis Babu, Pós Fliaraxá, 22/03/2021

“É importante demais esse espaço que estão abrindo para o slam, que seja o primeiro de muitos. E que seja o último online porque a gente gosta do presencial”. – Denis Babu, Pós Fliaraxá, 22/03/2021

“Sempre vamos lembrar que nós estamos em comunidade. O Slam é um conglomerado de pessoas” – Alessandro Dornelos, Pós Fliaraxá, 23/03/2021

“A palavra sempre vence. A poesia sempre vence” – Alessandro Dornelos, Pós Fliaraxá, 23/03/2021

“Todo mundo que está acompanhando sentiu o impacto ontem, então eu imagino o que vem para hoje” – Rafael Nolli, Pós Fliaraxá, 24/03/2021

“É histórico para a gente estar em um Festival literário. Esses poetas passam o ano inteiro declamando batalhas de slams, saraus e escrevendo. E hoje essa culminância tão bacana aqui no Fliaraxá” – Alessandro Dornelos, Pós Fliaraxá,

“Quem ganha é a poesia, sempre” – Denis Babu, Pós Fliaraxá, 24/03/2021

“A imagem da Carolina atravessa o Atlântico” – Alessandro Dornelos, Pós Fliaraxá, 24/03/2021

“A Carolina é essa potência poética” – Alessandro Dornelos, Pós Fliaraxá, 24/03/2021

“A poesia está presente em mim desde sempre” – Alessandro Dornelos, Pós Fliaraxá, 24/03/2021

“O Slam é essa potência e esse encontro com a palavra ao máximo” – Alessandro Dornelos, Pós Fliaraxá, 24/03/2021

“Para mim o Slam já é o sexto elemento da cultura hip hop” – Denis Babu, Pós Fliaraxá, 24/03/2021

“Aqui no Brasil o Slam completa, se eu não me engano, 13 anos” – Alessandro Dornelos, Pós Fliaraxá, 24/03/2021

“O Slam brasileiro ganhou esse contexto afrodiaspórico de luta contra o rascismo” – Alessandro Dornelos, Pós Fliaraxá, 24/03/2021

“Passaram por aqui onze mestres da palavra que trazem só aprendizado para a gente” – Denis Babu, Pós Fliaraxá, 24/03/2021

“Além de cronista, escritora, Carolina também era uma compositora, poetista talentosissima, cantava muito bem. A versão original do Quarto do Despejo, ela que canta suas músicas. Toda homenagem para ela ainda é pouco, mas a gente fez com coração essa singela homenagem”. – Denis Babu, Pós Fliaraxá, 24/03/2021

“Acho que tudo que a gente fizer nessa vida para Carolina ainda vai ser pouco, mas a gente vai continuar fazendo” – Alessandro Dornelos, Pós Fliaraxá, 24/03/2021

“A participação do Fliaraxá é um momento histórico para o Slam do triângulo mineiro, Alto do Paraíba” – Alessandro Dornelos, Pós Fliaraxá, 24/03/2021

“Eu agradeço o convite do Fliaraxá por abrir as portas do Slam e por trazer o Slam para a Carolina” – Denis Babu, Pós Fliaraxá, 24/03/2021

O post Fliaraxá é pioneiro em realizar a primeira Batalha de Slam apareceu primeiro em IX Festival Literário de Araxá.