fbpx

Instituto Terra começa o plantio de 170 mil mudas produzidas em seu viveiro na Fazenda Bulcão

20 de outubro de 2021

 

Com um estoque de cerca de 200 mil mudas de 60 espécies diferentes de plantas em seu viveiro, cultivadas ao longo de mais de um ano, o Instituto Terra começou, esta semana, a temporada de plantio em sua reserva.

 

“A hora de plantar é determinada pelo início da estação chuvosa e a previsão de precipitação constante, pois isso facilita o pegamento das mudas e reduz perdas. Diariamente serão plantadas de 3 a 5 mil mudas. Até o final da estação chuvosa, teremos enriquecido nossa floresta com quase 170 mil novas árvores”, diz a assessora de comunicação do Instituto, Silvia Almeida.

Não deixe de acompanhar os próximos passos!

#refloresta #meioambiente #mataatlantica

 

Mais informações: 31 9771-6000 (Sílvia Almeida)

 

https://institutoterra.org/

 

Instagram: https://www.instagram.com/institutoterraoficial/

 

Abaixo, um pouco da história do Instituto Terra

 

O que antes era pasto agora é floresta.

 

O Instituto Terra é uma organização civil sem fins lucrativos fundada em abril de 1998. É voltado para a restauração ambiental e o desenvolvimento rural sustentável do Vale do Rio Doce. A região era originariamente coberta pela Mata Atlântica e abrange municípios de Minas Gerais e do Espírito Santo banhados pela Bacia Hidrográfica do Rio Doce.

 

A bacia do rio Doce é uma das mais importantes do Sudeste brasileiro. Em seu domínio vivem mais de quatro milhões de pessoas, que enfrentam as conseqüências do desmatamento e do uso desordenado dos recursos naturais, como a erosão do solo e a escassez de água.

 

O Instituto Terra é fruto da iniciativa do casal Lélia Deluiz Wanick Salgado e Sebastião Salgado, que diante do cenário de degradação ambiental em que se encontrava a antiga fazenda de gado adquirida da família de Sebastião Salgado – a exemplo das muitas outras unidades rurais localizadas na cidade mineira de Aimorés –, tomou uma decisão: devolver à natureza o que décadas de degradação ambiental destruiu.

 

O primeiro passo foi transformar a área em uma Reserva Particular do Patrimônio Natural – RPPN Fazenda Bulcão. O título foi obtido de maneira inédita em outubro de 1998, sendo o primeiro reconhecimento ambiental concedido no Brasil a uma propriedade completamente degradada, diante do compromisso de vir a ser reflorestada.

 

O primeiro plantio foi realizado em novembro de 1999 e contou com a participação de alunos de escolas do município de Aimorés, em Minas Gerais. Nascia assim a proposta maior do Instituto Terra: compartilhar com a comunidade de seu entorno todo o conhecimento adquirido na restauração ambiental dos 608,69 hectares da RPPN Fazenda Bulcão.

 

Para alcançar esse objetivo desenvolve projetos que vão desde a restauração florestal e proteção de nascentes até a pesquisa científica aplicada e educação ambiental. O apoio financeiro vem de diferentes parceiros, tanto da esfera governamental como da iniciativa privada, bem como de Fundações e doadores individuais de vários países e de outras instituições do Terceiro Setor.

 

Por conta da atuação do Instituto Terra, milhares de hectares de áreas degradadas de Mata Atlântica no médio Rio Doce e perto de 2 mil nascentes estão em processo de recuperação. A antiga fazenda de gado, antes completamente degradada, hoje abriga uma floresta com diversidade de espécies da flora de Mata Atlântica.

 

A experiência comprova que junto à recuperação do verde, nascentes voltam a jorrar e espécies da fauna brasileira, em risco de extinção, voltam a ter um refúgio seguro.