fbpx

No #MondolivroPodcast, os lançamentos da Cia das Letras

18 de junho de 2021

Para ouvir o Podcast Mondolivro, na Rádio Alvorada, só teclar AQUI.

Abaixo, Afonso Borges detalha, com links, os lançamentos do grupo Companhia das Letras:

 

Aqui os lançamentos do grupo Companhia das Letras:

 

José Trajano  – Aqueles Olhos Verdes (Alfaguara)

 

https://www.companhiadasletras.com.br/detalhe.php?codigo=28000674

Misturando ficção e realidade, Aqueles olhos verdes é um delicioso passeio pelas festas, culinária, futebol, tradições, música e política do Brasil do final dos anos 1930 até o início dos 1960.

 

 

Bernardo Carvalho – O Último Gozo do Mundo

https://www.companhiadasletras.com.br/detalhe.php?codigo=15024

 

A história de uma professora de sociologia que vê seu casamento desmoronar pouco antes do início de uma pandemia global. Uma distopia com ares de fábula e manifesto.

 

 

Stênio Gardel – A Palavra que Resta

https://www.companhiadasletras.com.br/detalhe.php?codigo=14837

 

Neste primoroso romance de estreia, acompanhamos a trajetória de Raimundo, homem analfabeto que na juventude teve seu amor secreto brutalmente interrompido e que por cinquenta anos guardou consigo uma carta que nunca pôde ler.

 

 

Daniel Galera – O Deus das Avencas

https://www.companhiadasletras.com.br/detalhe.php?codigo=14841

 

O autor de Barba ensopada de sangue, vencedor do Prêmio São Paulo de Literatura, nos traz um livro marcante, que toma caminhos inesperados para narrar um mundo em rápida transformação. As três histórias deste volume vão do passado recente ao futuro distante, e falam de expectativas e perdas, e de como reconstruir a vida a partir de nossos próprios erros.

 

 

Bianca Santana – Continuo Preta – A Vida de Sueli Carneiro

https://www.companhiadasletras.com.br/detalhe.php?codigo=14599

 

Uma das maiores intelectuais públicas do Brasil, referência histórica do movimento negro, biografada por uma das mais promissoras vozes da nova geração.

 

 

Ana Martins Marques – Risque Esta Palavra

https://amzn.to/3dafP3N

 

A poesia de Ana Martins Marques atesta que as palavras são capazes de tudo: de absorver o que está ao redor ― na tentativa de compreender o mundo ―, mas, sobretudo, de criar novos mundos. Em seus versos, que nascem da observação e da curiosidade, a linguagem às vezes serve para pensar. Outras vezes, as palavras são deixadas de lado e dão lugar a um “buraco/ cheio de silêncio”. E então a poeta conclui: “um poema não é mais/ do que uma pedra que grita”.

Em Risque esta palavra, uma das vozes mais celebradas da literatura hoje cria uma espécie de inventário de experiências afetivas. Com clareza, inquietação e extrema habilidade, Ana Martins Marques mapeia os encontros e desencontros, a paixão e o luto, e prova que “quase só de palavras/ se faz o amor”.