fbpx

Zuenir Ventura abre Sempre Um Papo Itabira

1 de abril de 2021

O Sempre Um Papo, projeto de incentivo ao hábito da leitura, chega a Itabira com previsão de realização de encontros mensais com escritores e intelectuais, durante todo o ano de 2021. A estreia será com o jornalista Zuenir Ventura que falará sobre o livro “Minhas Histórias do Outros” (Cia das Letras), obra em que o autor recorre às recordações de amigos, cadernos de anotação e consultas a jornais e revistas para preencher as lacunas da memória e apresentar personagens que conheceu. O livro ganhou edição revista e ampliada com quatro novos capítulos, sendo eles Drummond – entrevista inédita de Carlos Drumond de Andrade; Quatro Antonios Geniais – sobre os bastidores da filmagem do documentário com Tom Jobim, Antonio Houaiss, Antonio Callado e Antonio Candido; Memórias do Cárcere – sobre lembranças da prisão; e Maria do Socorro – sobre uma personagem maravilhosa que ele conheceu nas caravanas da cidadania de Lula. 

Esse evento terá a mediação de Afonso Borges, idealizador do Sempre Um Papo, que comemora 35 anos de realização ininterrupta em 2021. O encontro com Zuenir Ventura será no dia 14 de abril, quarta-feira, às 19h, com acesso gratuito e transmissão no Youtube, Instagram e Facebook do Sempre Um Papo.

O Sempre Um Papo é viabilizado com o patrocínio do Itaú, Rede Mater Dei e Usiminas, com recursos da Lei Federal de Incentivo à Cultura, da Secretaria Especial da Cultura do Ministério do turismo.

“Minhas Histórias do Outros” (Cia das Letras)

Neste livro, Zuenir Ventura recorre às recordações de amigos, cadernos de anotação e consultas a jornais e revistas para preencher as lacunas da memória e apresentar personagens que conheceu, como Betinho, Nelson Rodrigues, Brizola, Darcy Ribeiro, Drummond, Carlos Lacerda, João Goulart, Leon Hirszman e quatro Antônios geniais — Houaiss, Callado, Candido e Tom Jobim. 

Em meio a lembranças pessoais e coletivas, Zuenir retrata as mudanças comportamentais, políticas e sociais por que passou o Brasil desde o começo dos anos 1950. Ele relembra experiências dolorosas, como o assassinato de Vladimir Herzog na prisão, fala sobre o convívio com Hélio Pellegrino na cadeia, sofre com a agonia e morte do amigo Glauber Rocha, comenta dilemas éticos do jornalismo, como a decisão de não noticiar o suicídio de Pedro Nava, expõe momentos surpreendentes, como o registro acidental que fez da calcinha branca de Jacqueline Kennedy, e revela frustrações, como a entrevista exclusiva que ele e Rubem Fonseca fizeram com Fidel Castro e que foi proibida de ser publicada.  

Nas páginas de “Minhas Histórias dos Outros” desfilam momentos marcantes de um país que alterna depressão e euforia, desencanto e esperança. Zuenir Ventura traça um amplo painel que vai da ditadura militar à redemocratização, do atentado ao Riocentro à anistia, da revolução sexual à chegada da Aids, dos anos dourados à explosão do narcotráfico. São mais de sessenta anos de uma trajetória que começa na faculdade, entre professores como Manuel Bandeira, Alceu Amoroso Lima e Celso Cunha, continua nas redações de jornais, passa por Paris, Saint-Tropez, Cannes, Sintra, Lisboa, Viena e Havana, segue pelos labirintos das favelas cariocas e chega até a Amazônia, onde o jornalista conhece Genésio Ferreira da Silva, testemunha chave da morte do líder ambientalista Chico Mendes. Para impedir que o garoto fosse assassinado, Zuenir acolheu-o em sua casa e o manteve sob sua tutela, dos 13 aos 21 anos. Nesta nova edição, revista e ampliada, o leitor terá uma agradável surpresa: o final feliz dessa que foi a mais difícil história das histórias de Zuenir.

Sempre Um Papo Itabira – com Zuenir Ventura

Dia 14 de abril, quarta-feira, às 19h

Local: Youtube, Facebook e Instagram do Sempre Um Papo

Informações: www.sempreumpapo.com.br

Informações para a imprensa:

Jozane Faleiro – jozane@sempreumpappo.com.br / 31 992046367